Estruturas organizacionais antigas perdem espaço para a cultura ágil das startups

Fique por dentro das squads de trabalho da fintech Pi Investimentos e inspire-se

A cultura de times organizados em squads vem ganhando cada vez mais adeptos no mercado de trabalho brasileiro. Empresas que utilizam essa metodologia ágil se dividem por grupos interdisciplinares, com objetivos em comum e não por áreas do conhecimento. Quando você tem equipes de marketing, vendas, jurídico e designer, por exemplo, as pessoas costumam pensar de uma maneira muito parecida no dia a dia. 

Ao trabalhar com squads, a diversidade de mindset ganha espaço e, no fim, o resultado da entrega para o cliente é muito melhor. Empresas que lidam com produtos digitais são os maiores cases dessa dinâmica de trabalho e a Pi Investimentos é uma delas. A fintech, lançada em março deste ano tendo o banco Santander como investidor, atua com 9 squads, todas focadas em uma constante evolução da plataforma.

“Somos uma fintech que pensa a empresa do ponto de vista do usuário e, como toda startup deve ser, nascemos com um formato para ter agilidade. A equipe da Pi é formada hoje por 75 pessoas, 100% full stack. Criamos uma corretora digital totalmente baseada em feedbacks e estamos sempre evoluindo”, afirma Ellen Kamimura, Head de Marketing e Customer Happiness da Pi.

Conheça algumas das squads da fintech:

Engajamento – time dedicado para a conversa com o usuário em todo o seu ciclo de aplicação e investimento.

Customer happiness – equipe voltada para o encantamento do cliente, para resolver dúvidas, acompanhar feedbacks, reviews e dicas para retroalimentar as demais squads. 

Aquisição – é o nosso time com uma visão única de onboarding que cuida desde o topo do funil até a conversão de cadastro e abertura de conta.   

Ainda de acordo com Ellen Kamimura, “as ferramentas e a tecnologia existem para facilitar a jornada, mas o diferencial são as pessoas, que precisam ter um mindset de colaboração e empreendedorismo muito forte. Validar produtos de forma rápida, não se apaixonar por ideias, trabalhar com dados e saber lidar com o feedback dos usuários são algumas das características que buscamos nos talentos para as squads da Pi”.

SOBRE A PI 

A Pi é uma plataforma aberta de investimentos, 100% digital, que oferece ao mercado carteiras temáticas de investimento geridas pelos principais gestores de fortuna do país. Uma fintech, investida pelo Santander, mas totalmente independente do banco, que defende o modelo de investimento 3.0, mesclando a desintermediação com a democratização por mais transparência e praticidade em todas as etapas do processo de investimento. Mais informações clicando aqui.

Acesse as principais
Técnicas empreendedoras

Feito com  em Gramado
2019 ©Todos os direitos reservados